domingo, 23 de agosto de 2009

INTERTEXTUALIDADE - continuação.

Atividade realizada pelos alunos da 7ªC da Escola de Ensino Fundamental Paquetá: Jakson dos Santos, Guilherme Olinger e Júlio Graf.

Dia Complicado...

Estávamos na avenida 51, correndo para pegar uma BOA moça, tomando uma SKOL gelada, com o SOL fervendo. Quando nos parou um VELHO BARREIRO com um copo de WHISKY e outro de VODKA. Ele nos disse:
- CAMPARI os dois misturados com uma COCA-COLA. Ficamos parecendo uns CAIPIRINHA, fugindo do CAPETA. Querendo achar um RED BULL pra sair voando. Achamos e depois tomamos um NITRIX e o CAPETA ficou para trás. Paramos para pescar um BACARDI, convidamos uns amigos para uma KAISER gelada e para comer os BACARDIs.

Atividade realizada pelas alunas da 7ªB da Escola de Ensino Fundamental Paquetá: Amanda de Mello, Luana Michelli e Andiara Sodre.

Uma família...

Hoje em dia TUDO É POSSÍVEL na vida de uma pessoa.
Joana gosta de um DOMINGO LEGAL, mas fica em PÂNICO quando assiste filmes de terror.
Carolina, sua filha, adora ver ESTRELAS antes de dormir, depois vai para o seu quarto que é uma ZORRA TOTAL. Quando ela ia para A FAZENDA de sua avó tinha medo de COBRAS E LAGARTOS.
O irmão de Carolina ia para a academia fazer MALHAÇÃO. Ele fazia CARAS E BOCAS, pois era mal educado com algumas pessoas, menos com sua namorada Luana. Ela tinha vários ÍDOLOS como HANNA MONTANA, com seus produtos de beleza, ela ficava 10 ANOS MAIS JOVEM.
Nessa família tinha MULHERES APAIXONADAS, mas todas elas tinham sua ALMA-GÊMEA.
Cláudia, uma dessas mulheres, botou o PÉ NA JACA, dias depois perdeu suas CHAVES. Seu marido era FANTÁSTICO, mas não gostava de CHOCOLATE COM PIMENTA.
Nessa família todos eram felizes...

Atividade realizada pelas alunas da 7ªC da Escola de Ensino Fundamental Paquetá: Sabrina Fenske, Vanessa de Limas e Jéssica S. da Cruz.

Um encontro inusitado...

MARLEY E EU estávamos passeando quando vimos UMA LINDA MULHER atravessando a rua. Logo avistei dois carros VELOZES E FURIOSOS se aproximando, pensei comigo "DEU ZEBRA"! Me senti um SUPER-HERÓI, saí correndo e puxei a moça. Entrou TODO MUNDO EM PÂNICO.
Começamos a conversar e descobri que ela era ganhadora do prêmio MISS SIMPATIA, então falei pra ela:
- SE EU FOSSE VOCÊ prestava mais atenção ao atravessar a rua!
Convidei-a para ver um CREPÚSCULO numa SEXTA FEIRA 13, e acabamos na balada dançando TITANIC.

INTERTEXTUALIDADE - atividade em sala de aula

Atividade realizada pelos alunos da 7ªB da Escola de Ensino Fundamental Paquetá: Nicolas Mastrandeas, Jefferson Sodré, Matheus Pavesi e Luiz Dalcastagner. Proposta conforme imagem acima.


Caro amigo JOHNNIE WALKER,

Sua filha NATACHA estava tomando banho de SOL. Então fui perguntar sobre o VELHO BARREIRO e sua filha DREHER. Ela me disse que DREHER estava grávida e que se eu quisesse vê-la teria que pegar um PASSAPORT para a ANTÁRTICA.
Dentro do avião a 51 minutos de vôo a aeromoça avisou que teríamos que parar em ITAIPAVA. Aproveitei e fui ver a onça que estava perto de um pé de AMARULA. Senti sede e fui tomar uma COCA-COLA. Assistindo ao noticiário vi que a Xuxa foi presa bebendo CACHAXA. Voltando ao avião seguimos viagem.
Chegando à ANTÁRTICA fui falar com DREHER que estava fazendo SMIRNOFF dormir. Conversa vai, conversa vem, descobri que sua prima BRAHMA havia morrido na CAVERNA DEL DIABLO e sua amiga TEQUILA estava chocada com o que aconteceu. De repente meu telefone tocou, era minha mulher HAISKA. Ela me disse que estava grávida e que eu teria que voltar para IPIROCA.
Por falta de tempo tive que escrever essa carta para o senhor.

Ass: SKOL

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

"A Espera de um milagre"...

Nas PONTES DE MADISON, TOOTSIE, estava À ESPERA DE UM MILAGRE quando BENJAMIN BUTTON surgiu depois de passar SETE ANOS NO TIBET. Quando ela o viu deu “O GRITO”, que soou de tal modo deixando TODO MUNDO EM PÂNICO, inclusive suas irmãs THELMA & LOUISE. Naquele lugar ONDE OS FRACOS NÃO TEM VEZ preferiu acalmar-se e perguntar se, afinal, ele havia decifrado O CÓDIGO DA VINCI, conforme combinado com A FILHA DO CHEFE na última reunião dA FIRMA. Sim. Ele descobrira O SEGREDO que estava envolvido nO MISTÉRIO DA LIBÉLULA, este falava do ARMAGEDON, dO FIM DOS DIAS, e dO DIA EM QUE A TERRA PAROU. O que iriam fazer? Decidiram chamar A LIGA DA JUSTIÇA, no entanto, somente O HOMEM-ARANHA e o BATMAN atenderam O CHAMADO. OS SINAIS eram óbvios e até O LEITOR mais desavisado perceberia que A GUERRA DOS MUNDOS se aproximava. A INVASÃO era inevitável e para deter A AMEAÇA SUBTERRÂNEA fariam uso da INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL, para criar um PLANO DE GUERRA que fosse eficiente. Isso seria uma MISSÃO IMPOSSÍVEL, pois precisariam de muita CARGA EXPLOSIVA e diversas MÁQUINAS MORTÍFERAS para destruir O PREDADOR que se aproximava. Se fosse preciso iriam lançar mão de medidas desesperadas como promover A RESSURREIÇÃO do APOCALYPTO com a ajuda da BRUXA DE BLAIR. Logo percebem QUANDO A NOITE CAI e O CREPÚSCULO se afasta, que O SILÊNCIO DOS INOCENTES enche o ar com A SOMA DE TODOS OS MEDOS. O INIMIGO DO ESTADO finalmente se aproximou, AS HORAS vão passando e até GODZILLA decide se juntar a batalha seguido por 300 outros que vinham de uma terra distante, MAR ADENTRO. A BATALHA FINAL iria começar... TOOTSIE acorda. Logo, percebe que estava nA CIDADE DOS SONHOS e que A LIBERDADE É AZUL, A VIDA É BELA e DEUS É BRASILEIRO!
Atividade realizada no dia 08 de Agosto de 2009, pelo trio Bruna, Luzia e Nélio.

sábado, 8 de agosto de 2009

Como fazer um memorial?

video

Quando criamos nosso Memorial da vida escolar, umas das primeiras tarefas do curso, encontrei esse vídeo na internet e gostaria de compartilhar...

A PESCA

Essa atividade foi realizada em casa, a proposta era criar um texto narrativo utilizando as palavras do poema de Affonso Romano de Sant'Anna, A Pesca, que segue abaixo:

O anil
o anzol
o azul

o silêncio
o tempo
o peixe

a agulha
vertical
mergulha

a água
a linha
a espuma

o tempo
o peixe
o silêncio

a garganta
a âncora
o peixe

a boca
o arranco
o rasgão
_______________________________________________
A PESCA
Luzia Antonelli Pivetta

O anil daquele céu refletia, no brilho das águas, o anzol pendurado na linha da vara de pescar. Era um dia de sol. O azul da maleta que carregava com seus apetrechos para a pesca combinava com aquele cenário. Sentado na beira do lago, lá estava ele, o pescador, pronto para mais um dia de trabalho. De repente, o silêncio... A preparação, a linha, o anzol, a isca. Tudo pronto. O tempo certo para atirá-la de encontro à água e o tempo certo para encontrar o peixe. Mais silêncio... E, ah, a espera! A agulha vertical mergulha e rasga a água e a garganta quando o peixe que nadava tranquilo se deixa levar pelo impulso de abocanhar aquele pedaço tão suculento de comida. Logo sente a âncora fisgar-lhe a boca, não há o que fazer, não há como fugir, é tarde demais. Sente o arranco e em seguida o rasgão que lhe puxa pra cima. E as luzes se apagam... Silêncio! Mas o céu é azul e ainda reflete seu brilho na água e ilumina o sorriso daquele que estava sentado na beira do lago.
Atividade realizada em grupo no dia 04 de Julho de 2009, cuja proposta era criar um texto a partir de uma melodia ou ritmo musical. Integrantes do grupo: André, Luzia e Nélio.

Primeira Postagem...


Essa imagem serviu para inaugurar minha primeira postagem neste blog. Acredito que possa passar a seguinte mensagem a respeito do mesmo: ser um livro aberto na troca de experiências durante o curso que estamos realizando.