quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Antes tarde do que nunca

Já faz um tempo que não posto nada por aqui, o que não significa que não estou desenvolvendo meus trabalhos, por isso, antes tarde do que nunca. 

E vamos às novidades, abaixo seguem as fotos da Mostra de Trabalhos da Rede Municipal de Brusque, na qual dois trabalhos de Língua Portuguesa foram expostos: Brusque sob outros ângulos e o pôster apresentado no 5º Seminário de Literatura Infantil e Juvenil da UFSC.





quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Ficção científica

Os alunos da 7ªD produziram textos de ficção científica, depois de inventar um personagem, vejam alguns textos:

O Futuro
(Camila)

    Em um lugar muito distante e desconhecido pelos humanos, morava um robô muito simpático e honesto que tinha um sonho de defender o planeta. Mas nesse lugar não morava só ele,lá também moravam outros robôs, inclusive sua mulher Kelly.
    Os dois eram muito felizes juntos, Hector tinha a capacidade de ver o planeta no futuro. Muitas vezes ele parava e passava um filme em sua cabeça. Nesse filme ele via o planeta se destruindo, com várias enchentes,catástrofes,e os alíens envadindo a terra dos humanos.
    Desde o primeiro sonho que ele teve, já começou a se preparar,inventando métodos para fazer com que isso não acontecesse.Ou seja,estava se preparando para conhecer a terra,a casa dos humanos.Mas ele sabia que para os humanos só existia robôs nos filmes e desenhos animados. Hector sabia que esta missão era muito difícil de enfrentar, e de superar, mas para ele tudo era possível.
    Ele fez de tudo,criou máquinas e outras coisas. Hector dizia que ele tinha sido criado para defender o mundo,todos os robôs que moravam lá onde ele morava sabiam que eles tinham sido criados por alguém, mas só uma pessoa muito sábia podia ter criado robôs com funções tão elaboradas e geniais. Na verdade eles nem sabiam que moravam no espaço um lugar muito longe da terra.
    Eles eram cheios de tecnologia, mas não sabiam que era muito difícil chegar até à terra. E nesses sonhos ele não via quando ia ser esta grande catástrofe, a única coisa que ele sabia é que ela ia ser no futuro. Ele ficou anos se preparando e organizando tudo. Até que muitos anos depois, foi criado pelos humanos um foguete espacial, que permitia que eles pudessem acessar o espaço, esses humanos foram justo no lugar onde o robô Hector morava.
    Eles ficaram pouco tempo ali, a comunicação entre eles era muito complicada. Mas Hector fez de tudo para que houvesse comunicação entre eles, até que conseguiram se comunicar, os humanos conseguiram falar que no planeta terra estava muito difícil e que todos estavam falando em "fim do mundo", então Hector se tocou e começou a agir. Pouco tempo depois que os humanos tinham ido embora Hector e seus ajudantes robôs,começarem a se arrumar para ir para a terra.
    Esses humanos que tinham ido até o espaço,prometeram avisar o planeta terra que os robôs do espaço iriam ajudá-los para que o pior não acontecesse. E aí chegou o tão esperado dia, o dia em que os robôs iriam para a terra. Como o esperado eles demoraram horas para chegar a terra, Hector ficou muito triste por ter que deixar sua esposa Kelly a robô, no espaço, mas ao mesmo tempo ficou feliz porque ia ajudar os humanos, e também porque ele sabia que iria voltar.
    Quando chegaram causaram impacto a todos,inclusive aos robôs, eles ficavam muito impressionados com a grandeza de tudo. Eles chegaram a ficar alguns meses lá achando um jeito de que aquilo não acontecesse. Mas cada vez mais o tempo piorava então ele viu que era hora  de agir. E quando menos esperavam o pior já estava acontecendo. Grandes catástrofes já estavam destruindo cidades, ele pegou sua nave e ficou vooando pelo céu, de repente olhou para frente e viu a nave de seus inimigos, os alíens.
    Então ele percebeu que eram eles que estavam fazendo aquilo tudo acontecer. Ele foi imediatamente tentar falar com os alíens, então ele perguntou porque que eles estavam estragando o planeta terra. Os alíens
falaram que queriam dominar o mundo, que tudo aquilo era deles, a partir daí uma nova confusão começou. Os alíens cada vez mais estragavam tudo,os robôs revoltados arrumaram suas armas e foram ao encontro dos alíens, mas os alíens não eram tão burros assim, eles também se prepararam para acabar com os robôs.
    Então eles começaram o combate,mas os robôs eram muito fortes e conseguiram matar todos os alíens. A partir daí, tudo começou a mudar e a melhorar, os robôs se tornaram os heróis dos humanos, eles saíram dali muito satisfeitos com o resultado.E puderam voltar para o espaço.
    Hector iria se encontrar com Kelly sua esposa.


A primeira guerra mundial entre os robôs.
(Luana M.)

    Era uma vez, no futuro aonde já existem robôs na rua como se fosse normal, as máquinas tomaram conta do mundo em tudo que é lugar, poucos seres humanos sobreviveram depois da catástrofe que aconteceu.
   Foi onde os países se juntaram, pois quase não existiam mais mares, aconteceram muitas explosões de vulcões, tsunamis. Dizem que só sobrou uma ilha em todo o mundo e que lá mora o casal de robôs. O robô Hector e a robô Kelly. Falam que quando alguém está precisando de ajuda, eles vêm nos ajudar. Porque agora existem muitos vilões e vilãs por aí.
    No dia que estava acabando o mundo, um cientista muito maluco, que botava muito medo nos humanos, ficava só dentro de seu laboratório, quase nem saía, acabou morrendo. Mas, seu laboratório ficou inteiro. Depois que isso aconteceu dois robôs saíram de lá, nesse momento eu estava em perigo, robôs vilões estavam tentando me queimar, do nada vem Hector e Kelly me ajudar, foi uma luta muito difícil para Kelly e Hector porque eram os dois contra uns 500 robôs, mas com seus poderes acabaram vencendo.
    Parte do meu corpo estava queimado e eles me levaram para a ilha deles e me ajudaram com as queimaduras, onde tinha queimaduras eles me transformaram em robô. E depois desse acontecimento, agora eu sou humana-metade robô. Agora eu ajudo o robô Hector e a robô Kelly a ajudar quem precisa.
    A robô Kelly me ajudou a ter os mesmos poderes do que os dela. Depois de muito treinamento passei a fazer parte do trio. Mas foi por pouco tempo o trio.
    Num certo dia eu e a Kelly saímos da ilha para ver se tinha alguém em perigo.Mas quando voltamos só tinha um bilhete escrito que iam matar o Hector se a gente não parasse de ajudar os humanos.
    Como Kelly era apaixonada por Hector ficou louca, saiu da ilha tentando achar Hector mais acabou não achando. No outro dia ela saiu cedinho tentando achar ele de novo, mas, dessa vez acabou achando. Ele estava pendurado numa corda prestes a ser queimado pela lava de um vulcão, Kelly foi logo ajudá-lo.
    Mas quando estava tirando ele de lá, pegaram-na, amarraram os dois, e iam deixar os dois no vulcão para a lava queimá-los, antes dos vilões irem embora, pegaram todas as armas de Kelly. Para que os dois não fugissem, mas eles esqueceram que Kelly não precisava das armas para fugir, ela tinha laser nos olhos, ela queimou as correntes de aço, mas quando foi ajudar Hector ela estava atrasada porque parte do corpo do Hector estava queimada. Ela foi desesperada salvá-lo, mas enquanto ela queimava as correntes Hector ia queimando aos poucos.Quando Kelly conseguiu, Hector já tinha morrido. Kelly com muito raiva dos vilões, pois tinham matado seu companheiro, foi atrás de vingança. Ela construiu todas as máquinas mais fortes, mais poderosas que já existiram, Eu,Kelly e as outras máquinas fomos atrás de vingança. Apesar de todas as máquinas que Kelly tinha construído, os vilões estavam em maioria, mas mesmo assim fomos à guerra.
    A maioria ia para matar Kelly, mas como ela estava com muita raiva conseguia destruir todos eles. Aos poucos fomos vencendo e os vilões iam ficando em minoria.
    Depois de tudo, acabamos vencendo, a maioria dos vilões tinham morrido e os outros fugiram para bem longe dali.
    Kelly apesar de ter vencido, estava arrasada, tinha perdido seu parceiro que a acompanhou a vida toda.
Apesar da cabeça ser de um robô, o corpo dela era de uma humana, e tinha um coração.E o amava muito.
    Depois dessa guerra toda, o presidente dos robôs fez a proclamação de paz eterna entre robôs e os humanos, e teve final feliz para a Kelly que acabou se casando com o presidente e virou a primeira dama dos robôs, agora ela ajuda os necessitados do mundo inteiro, ela dá aula para os humanos, de como se defender dos vilões, caso eles voltem.
    E agora todos vivem muito felizes, com paz e harmonia, principalmente a primeira dama robô Kelly, que está muito bem casada ajudando todos, e o presidente e a Kelly acabaram me adotando. E eu ajudo a dar aula aos humanos. E agora só existe felicidade entre os robôs e os humanos.


A IRA E FIM DOS CIBORGUES
(Maria Luiza)
 
    Em um dia chuvoso do verão do ano de 3.012 foi descoberto um lugar onde ninguém jamais havia entrado, lá havia vários ciborgues adormecidos.Várias crianças entraram lá, pois a porta estava aberta, acharam que eram bonecos, e sem querer os ativaram, e saíram correndo, pois ficaram apavorados ao ver que eram máquinas programadas para matar.
    Ao saber disso a polícia começou a destruir os ciborgues, mas Helena conseguiu se disfarçar de humana, e a polícia não a encontrou, então ela saía matando tudo e todos que avistava pela frente, então a polícia começou a desconfiar, saíram procurando com uma máquina detectora de metais, foi difícil achá-la, mas conseguiram, prenderam Helena  numa cabine de onde ela não conseguia sair, ela teve alterações na parte mecânica do seu cérebro, para que não matasse mais, mas não obtiveram sucesso, fizeram muitas trocas de peças, mas nada resolveu, então a confinaram numa cabine com mais proteção que a antiga.
    Resolveram ir até aquele local, e descobriram um lugar que tinha um laboratório, lá resolveram pesquisar formas de mudar a programação de Helena, não obtiveram sucesso, no dia seguinte decidiram voltar no laboratório, acharam uma passagem secreta onde tinha um pergaminho em que havia as instruções  para que houvesse alterações nos circuitos dos ciborgues, era só ensiná-los a serem humanos.
    Alguns meses depois Helena aprendeu o que deveria fazer, então fez uma cirurgia para que virasse totalmente humana, tudo deu certo e tudo vive bem até o fim dos tempos...


MAKILI
(Cleicy Anny)

    Era uma época difícil entre as empresas de cosméticos, a disputa estava grande, pois não havia novidades.
    Uma dessas empresas quis inovar pois ‘’mack’’ era uma empresa já muito ultrapassada, e acabou pedindo ajuda para um cientista maluco, que decidiu fazer um ser desconhecido usando um pouquinho dos cosméticos da linha mack.
    Ele criou uma máquina que seria capaz de mudar e criar uma nova era no mundo dos cosméticos, então ele começou a inventar coisas não exploradas até então, exemplo: no tronco da máquina humana encontrava-se sombras que com uma gota de água alteravam os tons,o blush mudava ao tocar a pele humana, e ainda, no tronco da máquina também se encontrava uma câmera que era capaz de filmar e assim mandar uma corrente de energia que corrigia as imperfeições do rosto filmado.
    Já nos seus braços e na cabeça teria utencílios de maquiagem que fariam a máquina humana funcionar de forma correta. E para os toques finais, usaria-se os membros inferiores, que teriam o delineador que trocava de diversas cores conforme mexiam, assim também eram os batons que se localizavam no mesmo local. Assim foi feita uma máquina genial que ele deu o nome de MECKLI que realmente seria a última tacada, com certeza faria sucesso.
    Mas como ele era um cientista maluco, no meio de todas aquelas invenções ele se empolgou e deu o poder de falar, e deu vida à máquina. E como ela também tinha o poder de corrigir imperfeições, ela acabava sendo sincera e perfeccionista até de mais.
    Mas foi lançada da mesma forma, e acabou gerando problemas,pois ela tinha sido criada especialmente para mulheres,este era um dos pontos de conflito,porque ela acabava revelando os travestis que no salão chegavam ao apontar defeitos grandes. Essa foi só uma das causas houve outras é claro. As pessoas acabaram entrando em conflitos e brigas e então foi decidido desligar mackli.
    O cientista entrou em parafuso pois sua obra estava sendo destruída. Foi ali que decidiram apenas desligar, infelizmente todo o mecanismo foi retirado.
    E então desde aquela época em que tudo era à base de tinta, folha e coisas do tipo, até hoje vem sendo criadas coisas que estão nas bolsas femininas (maquiagem), como o delineador, sombra, rímel, batom, blush entre outros...,mas é claro que outro inventor roubou a ideia e diz ter inventado a câmera fotográfica. E umas mulheres tem rancor por seus antigos descendentes travestis terem sido revelados, até hoje a sinceridade e o perfeccionismo existem...

terça-feira, 17 de julho de 2012

HQs no 6º ano

Os alunos dos 6ºs anos estão produzindo HQs com auxílio do site Máquina de Quadrinhos da Turma da Mônica  http://www.maquinadequadrinhos.com.br/Intro.aspx . A primeira turma a experimentar a novidade, depois de ter visto a teoria em sala de aula e de ler muitos gibis, foi o 6º ano B. Os alunos se divertiram com as ferramentas do site e criaram suas próprias histórias em quadrinhos com os recursos que lhe foram disponibilizados. Fica a dica, esse site é bem bacana!

Confiram algumas fotos e HQs produzidas por eles: 






Algumas HQs produzidas pelos alunos no site:



segunda-feira, 11 de junho de 2012

A poesia está na escola

Os alunos das 7ªs séries produziram poemas (sonetos e acrósticos) em homenagem aos 50 anos da Escola Paquetá. Depois de uma votação realizada pela coordenação, direção e secretaria, os melhores foram escolhidos e premiados com um livro de poesia. Abaixo seguem os poemas e as fotos da entrega. Parabéns a todos que escreveram os poemas.

Escola Paquetá é a melhor,
Sabendo educar e ensinando melhor
Com muito orgulho eu digo, que
O meu lugar é na escola Paquetá
Legal de se estudar,
Aprendo a trabalhar,
Para o meu futuro melhorar.
Aqui os professores gostam de ensinar,
Querem sempre ajudar,
Unindo os alunos para todos agradar.
Estudando e aprendendo
Todos odeiam o desentendimento.
Aqui tudo é melhor do que em qualquer outro lugar.
(Emily Rodermel - 7ªC)

Escola inesquecível, incomparável
Super boa, um lugar muito agradável
Com certeza uma ótima escola. Para a bagunça
Os alunos nem dão bola.
Lembro muito bem dos diretores que por aqui passaram, e
Aqui sua marca deixaram.
Demonstrando todo interesse nossos coordenadores
Estão sempre dando bronca em quem corre pelos corredores.
Estudar com nossos professores fica muito fácil. A
Nadir, faz todo mundo morrer de rir.
Seu Ricardo, todo complicado.
Isso sem falar na Luzia, que nos dá aula, para nossa alegria, e
Nem se fala da Adriana, uma professora muito bacana
Olha só a Roberta, que faz a turma toda ficar quieta, mas em
Fim, se dos professores eu continuar a falar
Uma hora as letras vão acabar
Nessa folha não cabe nem a metade
De toda nossa amizade, e o tanto de
Amigos que aqui eu fiz. Com eles
Me tornei uma aprendiz
E claro, de bagunça e de diversão, é tanta que
Nem cabe no coração, e
Tudo faz parte da
Alegria de estudar aqui, um
Lugar onde todos podem interagir.
Participar dessa escola é muito bom, mas
Ainda tem uns loucos,
Que dentro dela, ficam escutando som.
Unidos sempre estamos, até quando
Estudamos, até se for pra passar colinha.
Tudo isso é a maravilha de
Aqui estudar.
(Maria Luisa Delagnoli - 7ªD)

Escola Paquetá
(Márcia Martins - 7ªC)

Escola Paquetá é de todos
Professores pedem nossos esforços
Todos juntos a melhorar
E o seu Mário a escola bem cuidar

Mais um ano vamos avançar
Mais um aniversário a festejar
A escola Paquetá, 50 anos vai completar
E mais uma guerra ganhar.

Só a escola me faz saber
Só a escola me faz sonhar  
Só na escola para aprender a viver.

O selo da Escola Paquetá
No meu coração para sempre vai ficar
E por todo tempo eu de ti vou lembrar.

Vamos Comemorar
(Camilla Cristine Knihs – 7ªD)

A escola Paquetá faz aniversário
E agora vamos comemorar
Alguns não gostam, eu muito pelo contrário
Como muitos estou aqui para estudar.

Foi nesta escola que comecei
Comecei errar e aprender
E também foi por ela que eu me interessei
E percebi que foi ela que me fez crescer.

Com muita disciplina e determinação
A escola me ajuda de montão
A escola já mora no meu coração

É ela que sempre vou levar
Para onde quer que eu vá
E o nome “Paquetá” é que vou guardar.




Márcia, Camilla, Maria Luisa e Emily




sexta-feira, 1 de junho de 2012

Acróstico

Depois de produzirmos tantos acrósticos e poemas nas 7ªs séries, hoje recebi uma surpresa da aluna Alini Bastiani, da 7ªC, um acróstico com o meu nome. Obrigada Alini, fiquei muito feliz com a homenagem!

Literalmente ensina Português
Unindo seus alunos para uma nova língua
Zebra, só quando ela falta
Inteligente, pois ela estuda, então todos a 
Amam por ser especial.

Pronta para um tremendo futuro
Ignorando preconceitos
Vivendo do seu jeito
Especialmente quando o assunto é caráter
Tem orgulho de ser quem ela é
Trazendo sempre alegria e felicidade para seus 
Alunos. Então, é melhor você amá-la como ela é, pois se você escrever errado ela vai pegar no seu pé, mas será sempre para o seu bem.

domingo, 27 de maio de 2012

Poeminhas

Quero registrar aqui dois poemas escritos pelo aluno Alceri da 7ª D, enquanto os colegas terminavam de passar a limpo a produção de um acróstico. Ele queria jogar no lixo, mas eu não deixei. Seguem abaixo:

O Tiro

Um tiro
Uma bala
Um grito
Uma alma

Na testa
Na boca
Na perna
Na pessoa

O sangue
O amor
Revoltante

A traição
Um tiro
Na escuridão.

___________________

O Cidadão

O cidadão
Na favela
Desarmado
Com uma panela.

Uma bala perdida
O cidadão assustado
A mulher atingida
Ele fica revoltado.

O cidadão assustado
Se matou
Apavorado.

Na escuridão
No tiroteio
Apaga o coração.

domingo, 20 de maio de 2012

Central das tiras

Central das Tiras

HQs por idade

Olá pessoal,
No site do Educar para crescer há muitas informações sobre HQs, vale a pena conferir.

Basta clicar no link abaixo:

http://educarparacrescer.abril.com.br/hq/

domingo, 6 de maio de 2012

Blog Escolar - Projeto de LP

Olá Pessoal,

O projeto de Língua Portuguesa que está sendo realizado por mim e pelo professor Alexandre Gianesini neste ano possui um blog, no qual os alunos postam suas produções "jornalísticas", quem quiser conferir basta acessar o link: http://blogdaescolapaqueta.blogspot.com.br/

Abraços a todos!

terça-feira, 24 de abril de 2012

Reconto - novas produções

Confiram os melhores textos produzidos pelo 6º ano D:

A BRUXA DO CASTELO ENCANTADO
(Elaine e Daniel)

    Era uma vez numa floresta bem distante uma mulher muito humilde e pobre que tinha sete filhas, mas apenas a mais velha ficou morando com sua mãe que estava muito doente. Então o tempo passou e cada dia sua mãe piorava...
    No dia seguinte, ao amanhecer, a pobre mulher falou para sua filha mais velha, que se chamava Chapeuzinho Vermelho, que fosse até o castelo de sua filha mais nova que se chamava Marinalva e fabricava remédios.
    Chapeuzinho Vermelho logo após ouvir sua mãe foi direto ao castelo encantado de sua irmã. Os dias se passaram e finalmente Chapeuzinho Vermelho chegou ao castelo de sua irmã Marinalva. Ela bateu na porta e Marinalva desceu as escadas correndo.
    Quando Chapeuzinho Vermelho viu Marinalva, ela se espantou, pois sua irmã estava com duas crianças amarradas perto de uma fogueira. Nisso Marinalva tentou agarrá-la, mas Chapeuzinho Vermelho empurrou-a para dentro da fogueira e salvou as crianças, nesse momento apareceu um caçador e levou a filha mais velha e as duas crianças para casa de Chapeuzinho Vermelho, bem longe do castelo da Bruxa. Então o caçador comprou remédios e comidas para a mãe das sete filhas e viveram felizes por muitos e muitos anos.



O MERCADOR E SEUS AMIGOS 
(Tamires e Caroline)

    Numa casa no meio da floresta, há muito tempo, um mercador fazia magia quando uma de suas mágicas deu errado e ele virou uma abóbora porque uma bruxa enfeitiçou um de seus ingredientes.
    Quando Dunga e seus colegas passaram por ali e viram a abóbora a ignoraram.
    Depois de uma semana os anões passaram por lá novamente e resolveram chegar mais perto, escutaram uma voz que vinha da abóbora que lhes disse: “Me ajude Dunga”. Dunga perguntou: “Quem é você?” A abóbora respondeu: “Sou um mercador, você pode me ajudar”, repetiu. Dunga disse: “vou ver o que posso fazer” e foi embora. Foi pedir ajuda à bruxa Estela que morava do outro  lado da Floresta Escura.
    Quando chegou no outro lado da floresta perto da casa, viu a abóbora e disse que ia ajudar, pegou sua varinha, tocou na abóbora que voltou a ser um mercador, depois daquele episódio o mercador sempre dava um belo desconto para a fada e os anões, principalmente a Dunga.


DEU A LOUCA NO CONTO DE FADAS
(Beatriz e Ester)


    Era uma vez um casal de namorados. Eles moravam em uma terra bem distante, o nome deles era João e Rapunzel. João tinha muita sorte, pois Rapunzel permanecia eternamente jovem. As garotas que eram amigas de Rapunzel tinham muita inveja, por mais que os anos passassem, sua idade aumentava, mas ela sempre continuava bela.
    Há muitos anos, depois que João salvou Rapunzel da torre ela se apaixonou por ele. Só que isso não aconteceu por acaso, eles moravam em uma terra mágica. Certo dia João tomou uma garrafa de coragem e decidiu pedir Rapunzel em casamento. Rapunzel não desconfiava de nada.
    No dia seguinte Rapunzel foi visitar suas amigas, elas haviam planejado uma falsa reunião de amigos, enquanto isso João iria comprar a aliança de casamento.
    As amigas de Rapunzel conversavam muito para disfarçar. Branca de Neve se arriscou a falar:
    - E aí? Quando vocês vão se casar? Rapunzel pensou, pensou e disse:
    - Logo, não falta muito.
    No dia seguinte João contou tudo a ela. Ela ficou muito surpresa.
    Uma semana depois eles foram se casar. Nunca ninguém viu casamento mais belo que o de  Rapunzel e João.
    Passaram-se alguns dias e eles infelizmente souberam a triste notícia: um dos anões que Branca de Neve mais gostava havia morrido. Branca superou tudo e se casou com o Mágico de Oz.


A MINI FERA
(Kleiton e Kauane)

    Há muito tempo, numa floresta encantada havia muitas criaturas horripilantes e entre essas feras, havia uma muito exótica, conhecida como Fera, e é claro que muitos caçadores já haviam tentado caçá-la, mas não tinham conseguido.
    Um dia um caçador teve uma ideia infalível para pegar essa tal de fera, ele armou a sua armadilha bem no meio da floresta e um dia essa Fera, muito distraída, caiu na sua armadilha, mas, conseguiu escapar daquela armadilha que ele se gabava dizendo que era infalível.
    O caçador se admirou com a força da fera, mas ele tinha outra carta na manga, era uma armadilha mais forte do que a outra.
    Ele armou a armadilha novamente no meio da floresta e a Fera novamente distraída caiu, só que desta vez ela não conseguiu escapar.
    Os outros caçadores ficaram orgulhosos e o fizeram o novo rei da floresta.
    Depois de algum tempo, pessoas que não gostavam dele reclamaram que ele não tinha mostrado a Fera, então ele mostrou a tal fera, mas essa Fera tinha apenas 10cm.

sábado, 21 de abril de 2012

HQs

Os alunos das 8ªs produziram histórias em quadrinhos com temas diversos, confiram as mais criativas da 8ªB.

Vanessa

Maicon

Mateus

Elis

Catriel

Ângela

Jéssica


quarta-feira, 18 de abril de 2012

Apresentação de Pôster

Nos dias 11, 12 e 13 de abril apresentei o trabalho: O prazer de ler na escola: uma experiência literária na E.E.F. Paquetá no 5º Seminário de Literatura Infantil e Juvenil realizado pela UFSC em parceria com outras IES.